A agência DBRS manteve, nesta sexta-feira, o rating de Portugal em BBB (baixo), o primeiro nível de investimento, tal como a perspetiva estável, o que sinaliza a intenção de não alterar esta nota no médio prazo.

Em comunicado, a agência de notação financeira atribui a manutenção da nota a Portugal em patamar de investimento, isto é, acima das de especulação, à pertença à Zona Euro e à aderência às regras de governação económica da União Europeia.

Estas duas características, adiantou a DBRS, ajudaram a manter políticas macroeconómicas credíveis e a ter acesso a recursos financeiros das instituições europeias.

A agência mencionou ainda, como fatores de apoio ao rating atribuído, um perfil de dívida favorável e uma sólida posição da balança corrente (bens e serviços, rendimentos e transferências), em parte, detalhou, apoiada pela melhoria da competitividade comercial.

No lado dos riscos, a DBRS alertou para a existência de “desafios significativos”, mencionando níveis elevados de dívida do setor público, baixo potencial de crescimento, dimensão grande do crédito malparado e da dívida empresarial e, ainda, as pressões potenciais na despesa pública.