A General Motors anunciou hoje ter apresentado recurso num tribunal norte-americano para se proteger de queixas judiciais após ter reconhecido a existência de problemas mecânicos na ignição de alguns veículos, defeito que terá provocado 13 acidentes mortais.

Em comunicado, a General Motors (GM) precisa que esta ação abrange várias queixas apresentadas contra o grupo nos Estados Unidos por pessoas que não ficaram feridas em acidentes ocorridos por causa do referido problema mecânico.

O recurso foi apresentado no tribunal de Nova Iorque que supervisionou a saída da falência em 2009 e o objetivo é determinar se as diferentes queixas reclamando indemnizações financeiras ao grupo podem ser aceites.

A GM pediu nas últimas semanas a recolha de 2,6 milhões de veículos potencialmente equipados com o dispositivo nos quais o problema foi detetado pela primeira vez há 10 anos.

O grupo automóvel está a ser alvo de um triplo inquérito, do Departamento de Justiça, da agência norte-americana de segurança rodoviária e do Congresso, que querem saber porque houve uma demora tão grande até as viaturas em causa serem chamadas para revisão.

«A GM já reconheceu que tem obrigações em relação aos que sofreram lesões que possam ser associadas aos veículos afetados», refere o grupo no comunicado de hoje.