A Altice Portugal decidiu criar um conselho consultivo para as relações laborais e sindicais. O presidente-executivo, Alexandre Fonseca, enviou um e-mail aos trabalhadores a dar conta dessa decisão, numa altura de tensão na PT, por causa da transferência de trabalhadores para outras empresas do grupo. 

"Como já tive oportunidade de vos dizer, pretendemos criar na nossa empresa um ambiente que promova estabilidade, consenso e transparência nas decisões, bem como diretrizes claras de qual deverá ser o nosso foco principal: o cliente e a sua satisfação", começa por dizer o CEO, no e-mail a que a TVI24 teve acesso.

Nesse sentido, decidimos criar um novo órgão na empresa que fomente ainda mais diálogo, esclarecimento e que se debruce exclusivamente sobre as questões laborais e sociais: o Conselho Consultivo das relações laborais e sindicais".

Sem detalhar como funcionará, Alexandre Fonseca garante, porém, que "disporá da autonomia e imparcialidade necessárias para se pronunciar, com eficiência, sobre as mais diversas questões de relevância da nossa empresa em matéria laboral".

Será um complemento ao "importante trabalho" que entende que tem vindo a ser desenvolvido pela administração e direção de recursos humanos, "cujo empenho é inegável".

Este anuncio surge no dia em que os trabalhadores da PT Portugal decidiram marcar um plenário e uma vigília para segunda-feira, em Lisboa, para protestar e exigir uma gestão querespeite os trabalhadores” e garanta a estabilidade.

Em dezembro, trabalhadores da PT decidiram avançar com processos contra a Altice. 

O presidente da Altice Portugal mostra-se, contudo, otimista no e-mail que enviou.

Em estreito entendimento com os representantes sindicais, esperamos, com mais este passo, acrescentar, construir e aproximar ainda mais as perspetivas e decisões da empresa dos colaboradores e das suas ambições".

Garante que quer "prosseguir" um caminho de "esclarecimento e abertura".