Os trabalhadores da PT Portugal consideraram o adiamento da assembleia-geral da Portugal Telecom SGPS uma «meia vitória», que anima a hipótese da fusão com a Oi poder ser anulada.

«É apenas uma meia vitória, uma vez que o objetivo era que fosse suspensa por se considerar que a fusão era ilegal», afirmou o vice presidente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e do Audiovisual (Sinttav), António Caetano.

A assembleia-geral foi suspensa pelas 17:00, cerca de duas horas após o início, com nova reunião agendada para 22 de janeiro.

Em declarações à Lusa, o dirigente sindical manifestou-se confiante que, até à nova reunião de acionistas, «seja apurada informação relevante» que possa justificar a anulação da fusão.

À medida que os acionistas deixavam as instalações da PT SGPS, os trabalhadores concentrados à porta do edifício, em Lisboa, gritavam «ladrões» e «vigaristas».

A assembleia de acionistas tinha como ponto único a votação da venda da PT Portugal à Altice.