O Programa Operacional Centro 2020 vai apoiar com 2,6 milhões de euros do Fundo Social Europeu a contratação de 53 técnicos qualificados, entre eles 10 doutorados, por parte de empresas desta região do país.

O apoio na contratação de técnicos qualificados resulta da aprovação de 33 candidaturas submetidas pelas empresas e insere-se na estratégia do Centro 2020, orientada prioritariamente para o reforço da competitividade das empresas e para a promoção do emprego.

Pretende-se através destes apoios fomentar a contratação, por parte das empresas, de recursos humanos qualificados (licenciados, mestres, doutorados ou pós-doutorados), como forma de aquisição de massa crítica e de suporte ao desenvolvimento de processos que promovam a inovação empresarial"

O esclarecimento foi feito pelo Programa Centro 2020, numa nota divulgada esta quarta-feira e que detalha que as regiões com mais contratações apoiadas foram as de Coimbra (17 técnicos contratados), Dão Lafões (11) e Aveiro (10).

Novo concurso em breve

Dando continuidade a este apoio às empresas, o Centro 2020 vai abrir, brevemente, um novo concurso para promover a fixação de recursos humanos qualificados nas empresas da região,embora não tenha especificado ainda uma data. 

Para o período 2014-2020, o Programa Operacional da Região Centro tem uma dotação de 2.155 milhões de euros, dos quais 1.751 milhões de euros do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e 404 milhões de euros do Fundo Social Europeu (FSE).

Este valor representa um acréscimo de 27% face ao anterior período de programação (2007-2013) e corresponde a um valor de 925 euros por habitante da Região Centro.

Os eixos deste programa

O novo Programa Operacional da Região Centro estrutura-se em nove eixos prioritários, mobilizando nove objetivos temáticos e 27 prioridades de investimento.

Com uma estratégia de desenvolvimento regional partilhada e pretendendo mobilizar todos os parceiros regionais, pretende:

  • Tornar-se Innovation Follower 
  • Representar 20% do PIB Nacional
  • Convergir para os níveis de produtividade nacional
  • Diminuir em 10% as assimetrias territoriais
  • Ter 40% da população jovem com formação superior
  • Ter uma taxa de desemprego inferior a 70% da média nacional
  • Sustentar e reforçar a criação de valor e a transferência de conhecimento
  • Promover um tecido económico responsável, industrializado e exportador
  • Captar e reter talento qualificado e inovador
  • Reforçar a coesão territorial
  • Estruturar uma rede policêntrica de cidades de média dimensão
  • Dar vida e sustentabilidade a infraestruturas existentes
  • Consolidar a capacitação institucional