Luís Ribeiro, administrador executivo da Portway, é o escolhido pelo Governo para liderar a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), um dos reguladores que tem de se pronunciar sobre a venda da TAP ao consórcio Gateway.

O Governo já enviou à Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (Cresap) os nomes dos três administradores que escolheu para a direção do supervisor da aviação.

Além de Luís Ribeiro, a proposta de direção da ANAC (antes INAC) é composta por Carlos Seruca Salgado, responsável da Carga Aérea dos aeroportos ANA, e Lígia Fonseca, que transitou do Ministério da Economia para o então INAC.

Licenciado em Economia, Luís Ribeiro é administrador da Portway, empresa de 'handling' (assistência em terra) desde outubro 2012, e vogal do Conselho de Administração da ANA-Aeroportos de Portugal, SA, desde agosto do mesmo ano.

Em audição na comissão parlamentar de Economia e Obras Públicas, o ministro da Economia, Pires de Lima, defendeu a importância de terminar o mandato “com as autoridades de regulação devidamente regulamentadas”.

Na audição, que durou mais de cinco horas, António Pires de Lima defendeu a necessidade da ANAC ter "uma estrutura estabilizada" e sublinhou que "não é suposto os pareceres da privatização da TAP dependerem de uma pessoa", mas antes de "uma estrutura".

Sobre a entidade reguladora dos transportes, o governante salientou que esta será constituída antes do final da legislatura.

Relativamente à Autoridade Nacional das Comunicações (Anacom), Isabel Areia é o nome proposto para integrar a administração liderada por Fátima Barros.

"Os nomes já chegaram todos, menos um, aqui ao Parlamento. Nos próximos dias terão oportunidade de inquirir as várias pessoas, incluindo Lígia Fonseca", que será proposta para ser membro efetiva da ANAC, adiantou à Lusa.