A inflação anual média nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) subiu para 1,8% em junho, acima dos 1,5% observados em maio, devido principalmente ao aumento dos preços da energia e da alimentação.

Segundo a OCDE, citada pela Lusa, a subida anual média dos preços da energia e da alimentação nos 30 países da organização em junho foi respetivamente de 3,4% e 2,2%.

Em maio, a subida anual média dos preços da energia e da alimentação na OCDE tinha sido 0,5% e 1,9%.

Excluindo a alimentação e a energia, a inflação anual da OCDE desceu de 1,5% em maio para 1,4% em junho.

Em junho, a inflação anual aumentou em todas as grandes economias da OCDE, designadamente 1,2% no Canadá, 0,2% no Japão, 1,8% nos Estados Unidos e na Alemanha, 2,9% no Reino Unido, 0,9% em França e 1,2% em Itália.

Na zona euro, a inflação anual pelo Índice de Preços no no Consumidor Harmonizado (IPCH) aumentou de 1,4% em maio para 1,6% em junho.

Em Portugal, a inflação anual segundo o IPCH foi de 1,2% em junho.

Nas outras grandes economias da OCDE, a inflação anual em junho face a maio aumentou na China (2,7%), na Indonésia (5,9%) e no Brasil (6,7%) e desacelerou na Rússia (6,9%) e na África do Sul (5,5%).