O presidente da PT, Armando Pereira, garantiu esta terça-feira aos sindicatos representativos dos trabalhadores que a empresa não vai despedir ninguém e aceitou reabrir o processo negocial interrompido em 2013, anunciou uma fonte sindical.

"Na reunião de hoje com os sindicatos, o presidente da PT garantiu que a reestruturação da empresa não passa por despedimentos, embora considere que tem gente a mais", disse à agência Lusa o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da PT, Jorge Félix, no final de um encontro entre a administração da PT e os sindicatos representativos dos trabalhadores da empresa.

De acordo com o sindicalista, o administrador da PT reafirmou que os trabalhadores excedentários terão de ser enquadrados noutras funções, sobretudo na área técnica, para permitir reduzir as contratações em "outsorsing", de modo a evitar despedimentos.

Jorge Félix disse que os sindicatos presentes na reunião deram conta dos receios dos trabalhadores que desconhecem se a Altice, atual dona da empresa de telecomunicações, pretende manter a PT por muitos anos.

Os sindicatos reivindicaram a reabertura do processo negocial iniciado e interrompido em 2013, o que foi aceite pela empresa, que marcou a primeira reunião negocial para dia 29.

"Consideramos positiva esta abertura para o diálogo e para informar melhor os trabalhadores sobre as alterações que têm sido feitas na empresa", disse Jorge Félix.

Quando as negociações foram interrompidas, os sindicatos apresentaram uma proposta, que pretendem manter, que previa aumentos salariais de 3,5%.

"Vamos manter a proposta como base de negociação, embora tenha ficado claro que será muito difícil obter aumentos salariais", afirmou o sindicalista.