As reclamações apresentadas pelos portugueses no Portal da Queixa dispararam no primeiro trimestre deste ano. A maioria visa as operadoras de telecomunicações, empresas de transporte e logística e entidades públicas.

Só nos primeiros três meses do ano foram registadas 16.702 reclamações por este portal, um aumento de 167% relativamente a igual período de 2016, segundo dados citados pela agência Lusa. Contas feitas, uma média de 187 reclamações por dia.

O Portal da Queixa tem, atualmente, 127 mil utilizadores inscritos, tendo registado o seu maior crescimento nos primeiros três meses do ano, com uma média de 7.000 novos registos por mês.

De acordo com o presidente do Portal da Queixa, Pedro Lourenço, citado em comunicado, “a mudança de paradigma" na relação dos consumidores perante as entidades "é tão evidente" que o número "aumentou de forma exponencial".

Nos primeiros três meses do ano, o Portal da Queixa ultrapassou os cinco milhões de páginas visitadas de mais de 3.300 marcas. São mais 67% face ao primeiro trimestre de 2016.

O Portal da Queixa permite comparar as marcas do mercado com base num índice de satisfação, ficar a par das últimas notícias na área do consumo e dos últimos alertas para possíveis práticas de burla. E, claro, acima de tudo permite reclamar relativamente aos serviços que não satisfizeram os clientes.

Para além deste portal, os portugueses recorrem muito à Deco - Associação de Defesa do Consumidor, que no ano passado recebeu quase meio milhão de contactos de consumidores queixosos. A maioria das queixas teve como alvo, também, as telecomunicações e os transportes.

O Governo já assegurou que vai ter um livro de reclamações online, a partir do dia 1 de julho, nos serviços públicos essenciais e mais tarde alargado a toda a atividade económica.