O sistema easytoll, para pagamento de portagens nas ex-Scut por viaturas de matrícula estrangeira, registou mais de 17.000 adesões no primeiro fim de semana de agosto, disse à Lusa fonte da Estradas de Portugal (EP).

Este registo corresponde a um aumento de 26% face ao mesmo período de 2012, precisou a fonte, recordando que os primeiros dias de agosto são habitualmente marcados, na estrada, pelo regresso dos emigrantes e por uma maior afluência de turistas.

Assim, segundo a EP, apenas no sábado, 03 de agosto, o easytoll contabilizou 7.000 adesões, «o maior valor de sempre desde que foi implementado este sistema», em julho de 2012.

Com quatro praças instaladas junto às fronteiras, é possível aos condutores de veículos (ligeiros ou pesados) estrangeiros a associação da respetiva matrícula a um cartão bancário, apenas com a sua passagem, sendo válido pelo período de um mês e as passagens - em autoestradas com portagens eletrónicas - debitadas naquela conta.

Foi em Vilar Formoso (A25), que se verificou «o maior número de adesões», indicou a mesma fonte, com mais de 8.000 de viaturas no conjunto dos três dias (02 a 04 de agosto), seguindo-se Chaves (A24), com mais de 5.000 viaturas aderentes no mesmo período.

«Em termos de receita estima-se obter um valor de cerca 340 mil euros, o que representa um acréscimo superior a 45% face ao período homólogo de 2012», explicou a EP, sublinhando que este volume de adesões foi processado «sem quaisquer problemas de congestionamento» nas quatro praças de portagem transfronteiriças.

São ainda os casos da A22, em Vila Real de Santo António, e desde julho na A28, em Viana do Castelo.

No conjunto das quatro praças de portagem, este sistema registou 203 mil adesões no primeiro ano de funcionamento, até 01 de julho de 2013, indicam números da EP.

A empresa assume ter investido neste sistema, totalmente nacional, cerca de 1,3 milhões de euros, classificando os números do primeiro ano de utilização como «demonstrativos da clara preponderância do Easytoll como a solução de pagamento preferida» para estes casos.

Segundo a EP, «mais de 85% do total de adesões aos sistemas de pagamento» são já assegurados por este sistema, a forma encontrada «para dar resposta à ineficácia dos sistemas de cobrança de portagens exclusivamente eletrónicas implementados em Portugal em 2010», nas ex-Scut (até então sem custos para o utilizador).

«Foi assim necessário encontrar uma solução que permitisse aos utilizadores de veículos de matrícula estrangeira o pagamento de portagens de forma mais prática e eficiente, e reduzir, assim, o nível de incobráveis do sistema», explicou a mesma fonte.