O crescimento económico da zona euro recuperou em junho, mas a média do conjunto do segundo trimestre deste ano foi a mais fraca desde os últimos três meses de 2016, anunciou hoje a IHS Markit.

O Índice PMI (Purchasing Managers Index) composto final da atividade total da zona euro da IHS Markit subiu para 54,9 pontos em junho, contra a estimativa flash para junho de 54,8 pontos e 54,1 pontos em maio, o nível mais baixo dos últimos 18 meses e quando acumulou quatro meses consecutivos de quedas.

Contudo, a média do índice PMI composto final da atividade total da zona euro para o conjunto do segundo trimestre, de 54,7 pontos, foi a mais fraca registada desde o último trimestre de 2016, refere a Markit.

O crescimento económico da zona euro recuperou impulso em junho, terminando o segundo trimestre com um resultado respeitável e os cálculos apontam para um aumento do Produto Interno Bruto (PBI) de pouco mais de 0,5%", sublinha o Economista Chefe do IHS Markit, Chris Williamson.

A melhoria do índice em junho foi impulsionada pela melhoria do crescimento da atividade comercial no setor dos serviços, que alcançou a expansão mais rápida desde o último mês de fevereiro.

Em contrapartida, face a esta melhoria, o crescimento da produção industrial caiu para o nível mais baixo desde novembro de 2016.

A contratação acelerou em ambos os setores, apesar do ritmo de criação de emprego no setor industrial ter continuado abaixo dos números recordes registados no início de 2018.

Por outro lado, o indicador relativo à inflação de custos aumentou até ao segundo nível mais alto dos últimos sete anos, como consequência do alargamento dos prazos de entrega dos fornecedores, o aumento dos salários e a subida dos preços dos combustíveis.