Nem sempre é claro que há diferenças significativas entre um plano e um seguro de saúde, mas há. A especialista em literacia financeira, Bárbara Barroso, esteve no espaço da Economia 24 do "Diário da Manhã" da TVI para tirar algumas dúvidas, também a quem nos questiona.

Qual a diferença fundamental entre os dois?

O plano de saúde é um cartão de descontos, que dá acesso a um conjunto de prestadores de cuidados de saúde que fazem parte de uma rede. Ou seja, têm um cartão que lhe dá acesso a ir à clínica A ou ao hospital B, que fazem um desconto em determinados serviços de saúde que está pré definido.

Inclusive pode obter-se este tipo de planos de saúde em supermercados, há prestadores de serviços de energia que também já os têm…

Sim, mas convém não os confundir com um seguro de saúde.

O seguro vai acautelar os riscos com a sua saúde.

Consoante o tipo de seguro que se faz assim o segurado tem mais ou menos riscos acautelados?

Exato e as despesas, desses serviços acutelados, são reembolsadas seja na rede convencionada ou fora dela.  

No plano de saúde não há reembolso?

Não. Com o plano de saúde vai a uma clínica que não tem acordo e não tem qualquer desconto. Com o seguro, mesmo que a dita clínica não esteja na rede, pode sempre pedir o reembolso.

Mesmo que haja desconto com o plano de saúde é sempre inferior ao valor que se paga a menos, num serviço comparável, quando se tem seguro?

Sim. Imagine que tem um plano em que o desconto na rede são 10 euros por uma consulta de a especialidade. Se for à mesma consulta dentro da rede convencionada do seguro que adquiriu paga, possivelmente, só 10 ou 15 euros. E mesmo quando vai a um médico numa clínica que não tem acordo com o seguro que tem, pagar e depois entrega toda a documentação na seguradora para ser reembolsado, em parte, do valor – com base naquilo que tem contratado.

Para quem vive fora das grandes cidades é mais difícil ter um plano de saúde?

Pode ser menos vantajoso ainda, porque há menos opções no que toca a uma rede de serviços e médicos para o dito plano.

O que se paga inicialmente e durante também é diferente do plano para o seguro?

Muitas vezes o preço que pagamos pelo seguro tende a ser mais alto e também é preciso ter em atenção aos plafonds. Por exemplo, no caso da estomatologia [dentes] se tiver um plafond de 200 euros, significa que a comparticipação só vai até esse valor.

A família pode estar incluída?

Sim. Pode estar incluída nos dois.

A idade também é um fator determinante nas diferenças entre os dois?

No caso do seguro é preciso fazer um conjunto de exames clínicos, o valor a pagar aumenta consoante a idade e tem um limite de idade.

As pessoas mais velhas não podem ter um seguro de saúde?

Em Portugal não.

E no caso do plano?

O plano permite aderentes de qualquer idade.

E no caso das grávidas?

Se uma mulher está a pensar fazer o parto no privado, pode compensar ter um seguro de saúde. Tendo em atenção os períodos de carência.

E para famílias de baixos rendimentos?

Se não tem possibilidade de pagar um seguro, vale a pena o plano e assim, pelo menos, consegue aceder a alguns serviços de saúde a um custo mais reduzido.