Portugal é um caso que não tem comparação com o da Grécia, segundo o ministro da Economia. Numa altura em que cresce, como há muito tempo não se via, a probabilidade de Atenas sair do euro, Pires de Lima manifesta o desejo de que tudo se esclareça o mais rápido possível e descolou o caso nacional do helénico. 

"Somos manifestamente um caso diferente da Grécia, mas não quero estar a elaborar especulações sobre essa matéria"


O governante respondia aos jornalistas durante a visita à Bulgária- onde acompanha o Presidente da República e uma comitiva de empresários -, depois de o ministro das Finanças grego ter dito que não ia levar qualquer proposta ao Eurogrupo de quinta-feira.
 
"Penso que é importante para todos que a situação na Grécia, cumpra os seus compromissos e permaneça na zona euro. É importante que a situação se clarifique. Esta incerteza que dura já há bastantes meses acaba por prejudicar a confiança na zona euro", defendeu Pires de Lima.

O ministro recusou entrar em cenários especulativos sobre o futuro de Atenas fora da moeda única. "Todos desejamos que a Grécia permaneça".

Na segunda-feira, o Presidente da República, Cavaco Silva teve um tom mais duro nas críticas à Grécia do que o ministro da Economia, dizendo que o país " tem de convencer-se de que não pode haver exceções"

À margem do Fórum Empresarial que juntou gestores portugueses e búlgaros, Pires de Lima anunciou, ainda, que o contrato entre o Estado e o vencedor da privatização da TAP vai ser assinado no dia 24 de junho