O ministro da Economia, António Pires de Lima, afirmou esta quarta-feira no Parlamento que Portugal já «recuperou a credibilidade».

O ministro diz que Portugal é agora «um país que cresce» e não poupa críticas ao Partido Socialista (PS), questionando-o se «preferia» que as coisas tivessem sido diferentes. Se o partido preferia que o caminho não fosse o do crescimento económico e posterior libertação do programa de assistência financeira.

Durante a sua intervenção, com o objetivo de fazer um balanço sobre a legislatura do Governo, o ministro recordou os tempos difíceis que os portugueses viveram nos últimos anos como uma «consequência de um modelo fracassado em 2011».

«Em 2011 o país chocou com a realidade e mergulhou na recessão», lembrou o ministro. «Foram tempos muito duros. E é bom não esquecer», alertou.

Quanto a um dos maiores flagelos da nossa sociedade, a taxa de desemprego, Pires de Lima está otimista. «Portugal vive agora um processo de criação de emprego», embora reconheça que a taxa «ainda é elevada». No entanto, «acreditamos que a legislatura vai terminar com o desemprego a cair. Estamos a trabalhar para isso», continuou.

«A realidade não é brilhante, mas a realidade é que 2014 foi um ano de viragem económica. Prova-o a evolução do PIB (cresceu 0,9%), prova-o a taxa de desemprego, prova-o também os números do investimento disponível», concluiu.