O ministro da Economia, António Pires de Lima, disse esta quarta-feira que o Governo tem de trabalhar no sentido de reduzir os impostos nos próximos anos, esperando que «a moderação fiscal» possa chegar à tributação sobre o trabalho.

«Temos de trabalhar nesse sentido. A proposta de Orçamento do Estado para 2015 só será conhecida no início de outubro e é cedo para eu antecipar qualquer cenário. É evidente que o Governo como um todo trabalha para poder aligeirar a carga fiscal nos próximos anos», disse o governante aos jornalistas, quando questionado sobre se o documento prevê uma redução de impostos, escreve a Lusa.

Pires de Lima disse esperar que, depois da reforma sobre o Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Coletivas (IRC), «a moderação fiscal possa chegar também a outras áreas, nomeadamente àqueles que vivem do seu trabalho».

Competitividade em Portugal

O ministro falava à comunicação social no final da apresentação do ranking mundial da competitividade, divulgado hoje pelo Fórum Económico Mundial, que colocou Portugal no 36º lugar, uma recuperação de uma queda de 15 lugares.

Na sua intervenção, o ministro considerou que esta foi «uma inversão muito positiva, num ranking que é muito visto pela comunidade internacional de investidores».

Para Pires de Lima, este relatório é «uma evidência de que neste braço de ferro que existe entre a economia, e tudo aquilo que economicamente contribui para o crescimento e para o desenvolvimento, e a deseconomia, e tudo aquilo que contribui para o nosso atraso e descredibilização, a economia ganhou».