Ao contrário do que disse na semana passada, o ministro da Economia já não garante que a Autoeuropa não tenha instalado em alguns carros o kit que falsifica a emissão de gases poluentes.
 
Numa conferência de imprensa, Pires de Lima lembra que está em curso uma investigação.
 

“Houve evoluções entretanto. E para surpresa de muitos, a fraude teve extensões bastante relevantes também ao mercado europeu. E por isso, todas as fábricas que produziram para o mercado europeu não estão livres de terem produzido automóveis com a incorporação desse kit fraudulento, incluindo a Autoeuropa. Deve ser a Autoeuropa a dar explicações, não eu como ministro da Economia".


Na mesma conferência, o ministro anunciou ainda que o Governo vai criar um grupo de trabalho para acompanhar o caso da falsificação da emissão de gases poluentes por parte do Grupo Volkswagen.

“O Governo decidiu constituir um grupo de trabalho”, que será composto pelos secretários de Estado da Inovação, Transportes e do Ambiente e onde se incluem também técnicos do IMT e da Agência do Ambiente, para coordenar e "assegurar a monitorização das ações" decorrentes do plano europeu que está a ser desenhado depois da fraude da Volkswagen, disse o governante.

“Como é óbvio, todos os incumprimentos, tanto do ponto de vista ambiental, como do ponto de vista fiscal, como de outra natureza que possam ter existido têm de ser corrigidos. E nessa matéria o Estado vai zelar pelo cumprimento das obrigações fiscais da Volkswagen, como de qualquer outra empresa que exista no mercado português”, disse o ministro.

“O que eu creio que posso dizer com segurança é que os consumidores, os detentores desses veículos, que no fundo foram levados ao engano, não podem ser penalizados numa matéria como esta”, concluiu.