O ministro da Economia considerou esta quarta-feira que «os azares de outros são oportunidades para aqueles que têm boas equipas de gestão», numa alusão indireta ao setor das telecomunicações.

«Os azares de outros são oportunidades para aqueles que têm boas equipas de gestão, alinhadas com os seus acionistas e que conduzem os seus negócios de acordo com critérios de transparência e rigor», referiu Pires de Lima, durante o seu discurso na cerimónia de inauguração do centro de convergência e supervisão da NOS, em Lisboa, escreve a Lusa.

O ministro indicou também a NOS como uma das empresas que «estão a ajudar Portugal a ser um país mais competitivo», mas quanto aos «azares» de outras empresas, optou por não especificar.

Estas afirmações de Pires de Lima surgem no seguimento de declarações realizadas no início de agosto à Lusa, quando o ministro considerou que havia «uma situação de desfaçatez na PT (Portugal Telecom)».

«Houve, de facto, acontecimentos relevantes em Portugal, ao nível do BES como ao nível do comportamento da administração da PT que são inexplicáveis para qualquer investidor, nomeadamente investidores estrangeiros que investiram em Portugal e no mercado de capitais português convencidos de que o mercado português não viveria situações como estas», criticou também o governante, no início de agosto, lembra a Lusa.

O novo centro de convergência e supervisão da NOS, que vai ter uma equipa composta por mais de 100 pessoas, representou um investimento de 4,5 milhões de euros e está inserido num plano de investimentos de mais de 1000 milhões de euros a cinco anos, apresentado no início deste ano.

O centro irá servir para supervisionar as diferentes infraestruturas da operadora, incluindo as redes fixa e móvel, como é o caso da fibra ótica e da rede de cabo da operadora.