O ministro da Economia, António Pires de Lima, afirmou este sábado, em declarações à Lusa, que a atração de investimento para Portugal «é uma prioridade do Governo», em vésperas do primeiro roadshow internacional a Londres.

Pires de Lima inicia na segunda-feira uma missão de dois dias a Londres para captar investimento para o mercado português, acompanhado dos secretários de Estado Adjunto e da Economia, Leonardo Mathias, e da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, além do presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Pedro Reis.

«A atração de investimento para Portugal é uma prioridade do Governo e a missão de dois dias que o Ministério da Economia vai efetuar a Londres está completamente focada nesse objetivo», disse o ministro da Economia, que tem agendado, entre as várias iniciativas, reuniões com o presidente da Confederação da Indústria Britânica, Michael Rake, e com o ministro homólogo britânico, Vince Cable.

«Londres é a primeira etapa de um roadshow [apresentação] internacional de captação de investimento estrangeiro que o Ministério da Economia vai fazer ainda durante este ano e que vai dar a conhecer as oportunidades de investimento em Portugal nos nosso principais parceiros comerciais europeus», que inclui Londres, Madrid, Paris, Berlim, a Rússia e os Estados Unidos da América.

No dia 21 de outubro, Pires de Lima reúne-se com Michael Rake e terá um almoço com private equities e durante a tarde haverá uma ação, intitulada Why Portugal?, dirigida a presidentes executivos de empresas industriais inglesas em vários setores, na qual serão apresentadas oportunidades de investimento em Portugal.

No final do dia terá lugar um encontro com jovens empreendedores e jovens quadros portugueses que trabalham em Londres.

Na terça-feira está agendado um pequeno almoço na City, organizado com investidores, e uma reunião entre Pires de Lima e o seu homólogo britânico.

Pires de Lima sublinhou que «Portugal está na reta final do cumprimento do programa de ajustamento e tem dado sinais objetivos de recuperação económica que é preciso dar a conhecer aos investidores».

De acordo com o governante, Portugal é atualmente «um país mais competitivo e atrativo para o investimento, onde existem oportunidades de negócios concretas e com potencial». «Refiro-me a ativos, mas também a oportunidades de investimento em diversos setores da nossa economia, onde existem falhas diagnosticadas nas respetivas cadeias de valor, que podem interessar a investidores.»

«Teremos uma agenda intensa de contactos [nesta missão a Londres] com a banca de investimento, com private equities, com fundos e com empresários, mas também teremos reuniões institucionais e contactos políticos de alto nível, ou seja, procurámos estabelecer uma agenda muito concreta junto de interlocutores com capacidade de influência e de decisão», acrescentou.

«É este o modelo que replicaremos nos outros países e estou certo de que, trabalhando em diversas frentes, de forma focada, apresentando o caso Portugal, que conseguiremos afirmar a nossa proposta de valor e dessa forma potenciar decisões de investimento no nosso país», concluiu António Pires de Lima.