A Rússia enfrenta o abismo se não lançar um conjunto de reformas económicas, advertiu hoje o primeiro-ministro, num artigo publicado na imprensa, no qual lembra que a Rússia deve crescer, este ano, menos que a economia mundial, escreve a Lusa.

«O momento para decisões simples passou», salienta o primeiro-ministro, Dmitry Medvedev, no artigo publicado no diário económico Vedomosti, no qual tenta recuperar a imagem de grande reformador económico que procurou quando esteve na presidência, entre 2008 e 2012.

Pela primeira vez desde 2008, a Rússia deve crescer cerca de 2%, menos que a previsão para o crescimento da economia mundial, segundo a AFP.

Pintando um quadro negro sobre as consequências de falhar a melhoria do clima económico, produtividade laboral e sistema judicial na Rússia, Medveded disse, citado pela AFP, que «a Rússia pode continuar o seu movimento muito lento de crescimento económico perto do zero, ou pode dar um significativo passo em frente; o segundo caminho é frágil, tem risco, mas seguir o primeiro é ainda mais perigoso, porque é o caminho para o abismo».

No artigo de duas páginas, nenhuma referência é feita ao sucessor na presidência e mentor, Vladimir Putin, que muitos analistas consideram que não conseguiu implementar nenhuma reforma significativa.

A Rússia continua muito dependente do petróleo e do gás natural, sendo que os economistas consideram que há um forte risco de estagnação com taxas de crescimento muito baixas a médio prazo se o país não conseguir diversificar a sua economia.