A consultora Ernest&Young estima que Portugal vai crescer 1,4% este ano, mas alerta que apesar de a economia estar a começar a recuperar esse processo será «lento».

No relatório esta quarta-feira divulgado, a consultora internacional prevê que, depois da queda de 1,4% o ano passado, o Produto Interno Bruto (PIB) vai crescer 1,4% este ano e 1,2% em 2015. A expectativa mais recente do Governo é que a economia cresça 1,2% em 2014.

Quanto à procura interna, a Ernest&Young diz que continuará moderada, pelo que o contributo para o crescimento será «limitado», até porque as medidas de austeridade vão continuar a impactar a economia uma vez que a redução no défice orçamental se fará sobretudo por cortes na despesa.

Assim, refere, as «exportações continuarão a ser o principal motor de crescimento» nos próximos anos, as quais deverão crescer cerca de 4% anualmente entre 2014 e 2016.

Quanto à taxa de desemprego, a consultora não se alonga em explicações, estimando apenas uma ligeira redução para 16% em 2014 e que esta não deverá ir abaixo dos 15% pelo menos até 2018.

O relatório da Ernest&Young hoje conhecido é sobretudo sobre o conjunto da zona euro, com a consultora a prever que, depois de dois anos de recessão, este ano o conjunto dos 17 países da área monetária regressem ao crescimento, de 1%.

Um crescimento moderado que, justifica, reflete várias preocupações, caso do risco de deflação, da divergência de crescimento entre os Estados-membros (e já não é apenas entre os países do centro e os da periferia) e a elevada taxa de desemprego (atualmente de 12%).