O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou no sábado, o interesse crescente por Portugal das comunidades portuguesas residentes no estrangeiro, num jantar realizado no Rio de Janeiro, no âmbito de uma visita ao Brasil.

"O meu contacto com as comunidades portuguesas visa sobretudo sublinhar a importância que o PSD dá, apesar de estar hoje na oposição, a esta grande rede de 'portugalidade' que temos por todo o mundo", disse.

Repetindo a mensagem que já havia levado a empresários e luso-brasileiros com quem se encontrou em São Paulo na última sexta-feira, Passos Coelho mencionou o interesse crescente que sente da comunidade que vive no exterior em relação a Portugal.

"Tenho visto um grande interesse de pessoas que querem morar ou estudar em Portugal. Eu sei que politicamente as coisas podem não estar a correr tão bem no curto prazo, agora, mas por pior que o Governo venha a fazer, o país que nós temos hoje é muito diferente do que tínhamos no passado", afirmou.

Além de exaltar a importância das comunidades portuguesas no discurso realizado no final do evento, Passos Coelho também falou brevemente sobre os problemas económicos do Brasil e de Portugal.

Para o presidente do PSD, o descontrolo dos gastos públicos foi um fator comum que desencadeou a recessão em ambos os países e, seguindo esta linha de raciocínio, salientou a importância das lideranças políticas no processo de recuperação económica.

"A dívida brasileira está a aumentar como aconteceu em Portugal e quando for conhecida a real dimensão desta dívida sobrará menos espaço para se cometerem erros. É fundamental que exista uma liderança política que dê confiança para os empresários daqui voltarem a investir, e para aqueles que estão noutro lugar também voltarem a olhar para o Brasil", declarou.

Ao referir a situação económica de Portugal, porém, o presidente do PSD usou um tom crítico, afirmando que "a guinada política que o novo Governo fez deixou todos os investidores parados na expetativa de saber o que vai acontecer”.

“Isto preocupa-me. Sem promover investimentos temos mais dificuldade para ver a economia crescer", disse.

Passos Coelho viajou para o Brasil no final da semana passada, acompanhado pelo secretário-geral do PSD, Matos Rosa, e pelos dois deputados sociais-democratas eleitos pelo círculo fora da Europa, José Cesário e Carlos Páscoa.