O vice-primeiro-ministro de Portugal, Paulo Portas, garantiu esta terça-feira em Nova Iorque que as candidaturas das empresas para o novo quadro comunitário mais do que triplicam o valor disponível em apoios.

"Fiquei bastante impressionado com os dados que foram ontem [segunda-feira] concluídos. Há 400 milhões de euros disponíveis e apareceram candidaturas com um valor mais do que três vezes superior ao dinheiro que está disponível. Ou seja, 1.700 milhões de euros", adiantou Paulo Portas à agência Lusa.


Para o responsável, isto "significa que há muitas empresas disponíveis para tomar decisões de investimento este ano e isso é muito bom sinal."

"Ao mesmo tempo, 80 por cento das empresas que se candidatam fazem-no pela primeira vez, o que quer dizer que também há muitas empresas novas, e isso também é um bom sinal", defendeu Paulo Portas.


No total, foram 727 os projetos que se candidataram a apoios ao investimento produtivo e ao empreendedorismo.

Paulo Portas explicou ainda à Lusa que estes concursos "dizem respeito às áreas inovação, de produtos e processos, e qualificação de recursos humanos, de pessoas."

O Compete 2020, o Programa Operacional que financia as empresas, é o que tem os valores mais altos de candidaturas, cerca 1,03 mil milhões de investimento proposto.

Com 302 projetos apresentados, o Programa Operacional Norte é, no entanto, o que tem maior número de candidaturas.