O prémio Nobel de Economia de 2008, Paul Krugman, defendeu hoje, em Sintra, que os bancos centrais «têm de ser agressivos» e «não apenas prometer» para evitar a «armadilha de baixa inflação», como aconteceu no Japão.

«Os bancos centrais têm de não apenas prometer, mas precisam de agir efetivamente e de ser agressivos», disse o economista norte-americano numa conferência internacional organizada pelo Banco Central Europeu (BCE) que decorre em Sintra.

«Se esperam que haja um aumento da inflação, esse aumento tem de ser suficientemente elevado para produzir pleno emprego, considerou ainda, interrogando se a queda dos preços é temporária ou permanente.

Paul Krugman tem vindo a defender uma inflação mais alta na zona euro, considerando que o BCE deve abandonar a política de baixa inflação.