O primeiro-ministro confessou esta sexta-feira estar bastante confiante no resultado das avaliações e testes de stress à banca portuguesa, manifestando esperança em que este processo possa trazer «trazer um clima de confiança» ao sistema financeiro europeu.

As posições de Pedro Passos Coelho foram assumidas durante a habitual conferência de imprensa no final da reunião de dois dias do Conselho Europeu, em Bruxelas.

O chefe do Governo português disse esperar que o processo de avaliação dos ativos bancários europeus, levada a cabo pelo Banco Central Europeu (BCE), possa «trazer um clima de confiança» a todo o sistema financeiro e «ajude a mitigar a fragmentação que ainda existe».

«O Governo português está confiante quanto ao resultado destas avaliações, bem como dos stress tests que se seguirão, esta é uma ação muito importante que antecede o início da supervisão direta», considerou.

Passos Coelho afirmou que «os bancos portugueses estão devidamente capitalizados» e vivem «um clima de estabilidade financeira que é conveniente preservar», frisando que dos 12 mil milhões de euros disponíveis para os bancos no programa de assistência financeira a Portugal só foram utilizados seis mil milhões.

«A nossa confiança é bastante grande e julgamos que não virá a ser necessário recorrer a mais financiamento para esse efeito», reforçou.