O ministro da Economia, Pires de Lima, criticou a «modernidade» prometida pelo candidato do PS a primeiro-ministro, antecipando «aeroportos bloqueados», com os turistas a fazerem fila para pagar a taxa turística aprovada pela Câmara de Lisboa.

«É essa a modernidade que nos espera se o autarca for eleito primeiro-ministro», afirmou o governante, que está a ser ouvido no parlamento, remetendo para a imagem de «aeroportos bloqueados, com os turistas a fazerem fila, para pagar um euro».

Na comissão de Economia e Obras Públicas, Pires de Lima falava da evolução dos dados do turismo, quando trouxe ao debate as taxas turísticas aprovadas em dezembro pela Câmara de Lisboa: a Taxa Municipal Turística de um euro que será aplicada às chegadas ao aeroporto a partir de abril, exceto no caso dos residentes em Portugal, e a taxa sobre as dormidas que só será efetuada em 2016.

«Vejo milhares de turistas numa fila onde vão pagar a taxinha ao presidente de câmara que se apresenta como primeiro-ministro», declarou o governante, que em novembro havia protagonizado um episódio caricato também no parlamento sobre este tema, ao desafiar António Costa, de forma silabada, a desistir da criação de novas taxas sobre o turismo.

«Só espero que, depois de termos resistido à criação de taxas, por exemplo na área das dormidas, a administração local, nomeadamente aqui na zona de Lisboa, liderada pelo autarca que também é candidato a primeiro-ministro, António Costa, quando apresentar o orçamento da Câmara de Lisboa para 2015 tenha o mesmo poder de resistir à tentação que demonstrou o Governo», declarou então o governante.