A Procuradoria-Geral da República informou o parlamento que não existem inquéritos criminais abertos relativamente ao Banif, pelo que os trabalhos da comissão de inquérito vão decorrer sem restrições de segredo de justiça, disse à Lusa fonte parlamentar.

A questão tinha sido hoje lançada pelo deputado Carlos Abreu Amorim, coordenador do grupo parlamentar do PSD, na tomada de posse da Comissão Parlamentar de Inquérito ao Banif, mas o deputado do PCP que preside os trabalhos, António Filipe, invocou a confidencialidade do assunto, adiantou a fonte.

António Filipe revelou que o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues (PS), já tinha realizado as necessárias diligências junto da Procuradoria-Geral da República para apurar a existência, ou não, de inquéritos criminais sobre o Banif.

Acrescentou, porém, que só passaria essa informação aos coordenadores dos grupos parlamentares que se iam reunir após o final da tomada de posse da comissão, alegando a confidencialidade dessa informação.

A sala um das comissões parlamentares estava cheia de jornalistas, que entretanto tiveram que sair para que se desse início à reunião dos coordenadores: João Galamba (PS), Carlos Abreu Amorim (PSD), Mariana Mortágua (BE), João Almeida (CDS) e Miguel Tiago (PCP).