Não só visa impedir a liquidação do banco, a qual comportaria sérias consequências sociais, tais como despedimento dos seus trabalhadores e a imposição de perdas aos respetivos depositantes, como visa minorar os muito elevados custos potenciais para o erário público e prevenir a erosão da confiança no sistema bancário e a perturbação da estabilidade do sistema financeiro nacional”, lê-se na Exposição de Motivos que acompanha a proposta que altera o Orçamento do Estado para 2015.