De acordo com a síntese da execução orçamental divulgada hoje pela DGO, até maio o Estado pagou 875,6 milhões de euros aos credores internacionais, Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu (troika).



Este valor traduz um aumento de 6,1% em relação ao período homólogo do ano passado quando tinham sido pagos 808,2 milhões de euros.



No que respeita às comissões associadas ao empréstimo foram pagos 17,8 milhões de euros até maio, menos 5,8% em termos homólogos. Nos primeiros cinco meses do ano o Estado pagou 18,9 milhões de euros em comissões.



Até maio, o Estado gastou cerca de 2,2 milhões de euros para pagar juros do total da dívida, mais 16,8% em relação ao ano passado quando foram gastos cerca de 1,9 milhões de euros para o juro da dívida.