Os congressistas republicanos indicaram na quinta-feira que as discussões com o Presidente Barack Obama sobre a subida do limite da dívida vão continuar, depois de uma primeiro encontro na Casa Branca.

«As nossas equipas vão continuar a falar esta noite [madrugada de sexta-feira em Portugal), vamos ter mais discussões, o Presidente disse que vai consultar o seu Governo e espero que descobrir uma forma de avançar», disse o chefe da maioria republicana na Câmara dos Representantes, Eric Cantor, à saída de uma reunião, que durou uma hora, entre Obama e 20 dirigentes republicanos.

O presidente da Câmara dos Representantes, John Boehner, não comentou a reunião, escreve a Lusa.

Os republicanos propuseram na quinta-feira uma subida temporária do limite da dívida pública para afastar o risco de os EUA falharem os seus pagamentos, mas sem incluir qualquer medida que reabra todos os serviços governamentais federais, encerrados desde 01 de outubro, devido à inexistência de um orçamento.

O plano dos republicanos deve ser apresentado a Obama, que ainda não disse que o aceitava.

O republicano Paul Ryan, presidente da comissão do Orçamento na Câmara dos Representantes, comentou, ao regressar ao Capitólio, que Obama «não disse que sim e não disse que não».

Porém, o líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, assegurou, depois de se reunir com Obama, que só haverá negociações com os republicanos se os serviços governamentais forem reabertos e o limite da dívida for aumentado.