O novo ministro das Finanças, Mário Centeno, teve o seu primeiro encontro em Bruxelas com os comissários europeus responsáveis pelo Euro e pelos Assuntos Económicos, tendo esbarrado com a impaciência da Comissão Europeia no que toca à proposta de Orçamento que ainda não chegou às instâncias europeias, fruto da situação política em Portugal, só regularizada na semana passada, com a entrada em funções do novo Governo de António Costa.
   
Fontes comunitárias já tinham expressado ao correspondente da TVI que, em cima da mesa, na reunião entre Mário Centeno, Valdis Dombrovskis e Pierre Moscovici estaria o Orçamento do Estado para 2016 e a exigência de Bruxelas na apresentação do orçamento preliminar, o mais rapidamente possível. 

Esta visita teve lugar cinco dias após a tomada de posse do XXI Governo Constitucional e o ministro das Finanças não prestou declarações à imprensa. 

O anterior executivo de Passos Coelho decidiu não apresentar dentro do prazo definido no “semestre europeu” de coordenação de políticas económicas e orçamentais da UE - a data limite é 15 de outubro, por causa das eleições legislativas de 4 de outubro.

No dia da tomada de posse do novo Governo, na passada quinta-feira, Moscovici indicara que a Comissão iria entrar em contacto com o novo titular da pasta das Finanças de Portugal “muito rapidamente”, para conhecer as intenções do novo Governo.

As partes decidiram não esperar pela reunião dos ministros das Finanças da zona euro agendada para a próxima segunda-feira.