O PS admitiu esta quinta-feira apresentar propostas, na fase de especialidade do orçamento para 2018, para reforçar os investimentos na proteção civil, e advertiu o Governo para que as medidas a tomar têm de responder imediatamente às vítimas.

Carlos César assumiu estas posições perante os jornalistas antes da reunião semanal do Grupo Parlamentar do PS, depois de questionado sobre as prioridades dos socialistas na fase de discussão na especialidade da proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2018.

O PS apresentará propostas na especialidade que conjugará com o Governo", disse, adiantando que acredita que algumas dessas propostas terão expressão ou no Conselho de Ministros extraordinário de sábado, ou no decurso da discussão do Orçamento do Estado para 2018.

Segundo o presidente do Grupo Parlamentar do PS, caso se verifique que, no âmbito das dotações que se encontram "dispersas" pelo Orçamento, "seja necessário concentrá-las num programa específico, ou reforçá-las na área da reconstrução e proteção civil, isso será feito".

É muito importante que esta proposta de Orçamento do Estado para 2018 constitua um sinal do novo ciclo no âmbito do investimento e da reforma do sistema de proteção civil", declarou o líder da bancada socialista.

Perante os jornalistas, o líder da bancada socialista deixou um recado ao Governo a propósito do Conselho de Ministros extraordinário do próximo sábado.

Há para nós uma grande urgência. Sabemos de pessoas que perderam as suas terras, que perderam o seu sustento já na semana que corre, conhecemos famílias que foram arruinadas e de pessoas que perderam as suas memórias com estes incidentes. O Governo não poderá por isso concentrar os seus esforços apenas em medidas estruturais e de médio prazo, tendo antes de ter uma atenção muito grande para que essas famílias, essas pessoas, as empresas que desapareceram sejam rapidamente ressarcidas e reabilitadas", acentuou o presidente do Grupo Parlamentar do PS.