A NATO vai utilizar no futuro um programa informático de apoio a operações navais desenvolvido pela empresa portuguesa Edisoft, em parceria com a Marinha e com as universidades de Lisboa, Porto e Évora.

O protótipo do «SAFEPORT» foi apresentado na quinta-feira no quartel-general da organização, em Bruxelas, e insere-se no quadro do Programa de Defesa contra o Terrorismo da Aliança Atlântica, que foi proposto a Portugal e financiado pela organização num valor a rondar os dois milhões de euros.

Este sistema informático tem como objetivo «aumentar o nível de proteção de forças expedicionárias em portos e permitir, simultaneamente, manter a atividade portuária normal».