O regulador do mercado decidiu hoje prolongar a suspensão da negociação das obrigações da PT.

Em comunicado, a Comissão de Mercado de Valores Mobiliários diz que que o conselho deliberou “prorrogar a suspensão da negociação das obrigações da Portugal Telecom Internacional Finance "Obrigações PT Taxa Fixa 2012/2016" (ISIN PTPTCYOM0008) até à divulgação de informação relevante relativa ao processo de recuperação judicial das empresas Oi”.

A decisão agora anunciada mantém, assim, por mais tempo a que tinha sido tomada a 21 de junho, no mesmo dia que o regulador também determinou que fossem suspensas à negociação as ações da Pharol – que detém mais de 23% da brasileira Oi. Um dia antes a Oi tinha pedido a proteção contra credores no Brasil de modo a evitar a falência.

E enquanto não há uma decisão judicial sobre o pedido da Oi, fica também em suspenso o que acontecerá com aos menos de 400 obrigacionistas que tinham subscrito obrigações da PT quando esta ainda não tinha sido vendida. No processo de troca de posições com a Oi, em 2015, passou também para a Portugal Telecom Internacional Finance o conjunto de obrigações que a maior empresa de telecomunicações brasileira passaria a ter para com os obrigacionistas portugueses. Alguns deveriam ter sido ressarcidos na maturidade, a 26 de junho, o que nunca aconteceu.