Só a Infraestruturas de Portugal deverá contribuir com mais 501 milhões de euros para p défice orçamental deste ano, um peso que pode ainda ser maior se o plano de negócios da empresa for levado a cabo.

O alerta da Unidade Técnica de Apoio Orçamental, escreve o Diário Económico, consta da análise final ao Orçamento do Estado para 2016, que mostra que só nesta empresa o governo estima um défice de 1,1 mil milhões de euros este ano.

De acordo com a UTAO, o agravamento do défice da empresa resulta sobretudo do aumento da despesa, nomeadamente uma despesa acrescida de 372 milhões de euros com concessões e 162 milhões coma aquisição de bens e serviços.