A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, disse esta terça-feira que as medidas inscritas na proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2014 serão bem acolhidas pelo Tribunal Constitucional e garantiu que «não há plano B».

«Estamos a conceber as medidas na convicção de que o Tribunal Constitucional compreenderá que as medidas são necessárias, justas e equitativas», disse a governante em conferência de imprensa.

Maria Luís Albuquerque reconhece que os investidores estão alertados para o risco de as medidas não passarem pelo crivo do TC, mas diz que apenas se trata de «um risco específico para Portugal», num contexto em que as incertezas e os riscos estão sempre presentes nas políticas orçamentais de todos os países.

Maria Luís: «Naturalmente que este Governo tem sensibilidade social»

Função Pública: cortes salariais podem continuar após 2014