A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico recomenda que Portugal continue a apostar na redução do número de funcionários públicos para melhorar a eficiência dos serviços.

De acordo o relatório «OECD Economic Survey» divulgado esta segunda-feira, a Organização considera que Portugal deve «continuar a melhorar a eficiência do setor público continuando a reduzir o número de funcionários públicos». Para isso, uma das medidas propostas pela OCDE é a aposta na qualificação dos profesores em vez da redução de turmas


Para a OCDE, esta será também uma forma de continuar a reduzir o peso da despesa com salários da administração pública.

Por outro lado, o relatório refere que apesar de o emprego público ter caído cerca de 8% desde 2012, ainda há excesso de funcionários em áreas específicas, como as forças de segurança e a educação.

«Com mais de 450 polícias por 100 mil habitantes, a polícia portuguesa é a segunda maior força na Europa», em termos relativos, lê-se no documento.

Já na educação, a OCDE considera que as turmas são «pequenas» e defende por isso que «a qualidade dos professores é mais importante no processo de aprendizagem do que o tamanho das turmas».

Este relatório da OCDE, que é publicado de dois em dois anos, vai ser apresentado esta segunda-feira no Ministério das Finanças pelo secretário-geral da Organização, Angel Gurría, numa cerimónia onde estará também a ministra Maria Luís Albuquerque.