O novo portal da Segurança Social Direta, lançado esta segunda-feira, vai tornar o sistema mais rápido e imune a erros, tanto para empresas, como para cidadãos, garantiu o ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social.

“A nova página da Segurança Social Direta é mais simples para cidadãos e empresas, mais rápida, uma vez que todas as operações passam a ser realizadas em tempo real”, explicou Pedro Mota Soares aos jornalistas, após a apresentação do novo site, numa cerimónia no Instituto de Informática da Segurança Social, em Oeiras.

De acordo com o ministro, todos os meses, “mais de um milhão de trabalhadores e de empresas têm de fazer a declaração à Segurança Social” e, a partir de hoje, essas declarações vão estar pré-preenchidas, o que "irá simplificar o trabalho, dado que só será necessário validar a informação contida".

“Isto torna o sistema mais rápido, mais imune a erros e, para as empresas e cidadãos, torna o sistema mais fiável e muito mais barato. Além de que, do pondo de vista da modernização, é algo muito importante”.


Segundo o governante, o mecanismo ajuda igualmente a “combater tudo o que seja fraude, evasão do ponto de vista das contribuições”, lembrando o investimento realizado nos últimos anos neste sentido, através de mecanismos internos de defesa dos próprios sistemas.

Mota Soares exemplificou que, com este sistema, se torna mais fácil o tratamento de dados, lembrando que no primeiro semestre do ano foram comunicados mais de 700 mil admissões de trabalhadores.

De acordo com o ministro, o trabalhador pode ainda consultar a sua carreira contributiva em tempo real, sublinhando que nem sempre era assim no passado e que, desta forma, o facto de ser uma consulta imediata diminui erros do sistema.

A implementação da nova plataforma simplifica o processo de entrega mensal da declaração de remunerações, permitindo o tratamento e validação uniforme da informação e aumentando os níveis de eficácia e eficiência do processo associado à declaração mensal.

De acordo com os dados da Segurança Social, são mais de um milhão de entidades empregadoras e mais de três milhões de trabalhadores registados na Segurança Social Direta que têm agora acesso a esta nova plataforma.