Foi por ter desistido de aplicar um Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) progressivo que o Governo vai criar o novo imposto sobre o património.

Segundo avança o jornal online Observador, a intenção do Executivo socialista era introduzir escalões no IMI, mas esbarrou em várias questões técnicas.

Por isso, o Governo deve avançar com a solução alternativa de taxar o património imobiliário de valor elevado.

Além de substituir esta intenção inicial do Executivo, inscrita no programa de Governo, o novo imposto vai também substituir o imposto do selo, ou seja, a taxa de 1% paga pelos proprietários de imóveis de valor elevado.

Já no Programa de Estabilidade entregue em abril em Bruxelas, constava o objetivo de criar um mecanismo de progressividade na tributação direta do património imobiliário, tendo por referência o património imobiliário global detido.

O novo imposto ainda não tem nome, o Governo apresenta-o como um instrumento de justiça fiscal.