A empresa estatal Petroléos da Venezuela SA (Pdvsa) e a russa Rosneft assinaram no sábado um acordo por 2.000 milhões de dólares (1.470 milhões de euros), para o abastecimento de petróleo e derivados.

O acordo, segundo um comunicado divulgado pela Pdvsa, foi assinado pelo ministro venezuelano de Petróleo e Minas, Rafael Ramírez e o presidente da Rosneft, Igor Sechin.

A assinatura teve lugar durante um encontro encabeçado pelo Presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, no âmbito do Foro Económico de San Petersburgo.

Segundo Rafael Ramírez «este acordo constitui parte do apoio para desenvolver projetos que figuram nos planos da Pdvsa, como a Faixa Petrolífera do Orinoco (a sul da Venezuela) que, com planos de investimentos por 235 milhões de dólares, requer de tecnologia, financiamento e apoio».

«Estamos concentrando toda a nossa capacidade tecnológica para desenvolver essa província petrolífera que nos dará 150 anos de produção a uma taxa de 6 milhões de barris diários, que é o que projetamos para 2019», disse Rafael Ramírez, que também é presidente da petrolífera venezuelana.

Para Igor Sechin o acordo representa uma nova etapa de uma sociedade entre a Rosneft e a Pdvsa, que se expande à área do comércio e abastecimento, fortalecendo as posições da petrolífera rusa como ator global no mercado do petróleo e derivados.

Segundo a imprensa venezuelana o acordo prevê que a Pdvsa abasteça 1,6 milhões de toneladas de petróleo e 7,5 milhões de toneladas de derivados, nos próximos cinco anos, em condições de pré-pagamento.

A russa Rosneft participa como sócio minoritário da Pdvsa nas empresas mistas Petrovictória, Petromonágas e Petromiranda, na Faixa Petrolífera de Orinoco (a sudeste de Caracas).

Também nas empresas mistas (capitais públicos e privados) Boquerón e Petroperijá, a oeste do país.

Sábado a Rosneft assinou também um memorando de cooperação com a Cuba Petróleo (Cupet), um memorando de entendimento com a ONGC Videsh e um acordo de abastecimento com a Petrovietnam, entre outros.