Os resultados líquidos da Unicer em 2013 caíram de 28 para 27 milhões de euros, revelou hoje a companhia, no primeiro ano, desde 2004, em que vendeu mais cerveja em Portugal do que no anterior.

«Em parte, a excelente performance que tivemos em Portugal sustentou muito os nossos resultados. Pela primeira vez, desde 2004, vendemos mais cerveja em Portugal do que no ano anterior. É preciso lembrar que 2004 tinha sido o ano do Euro, portanto um ano excecional», afirmou hoje o presidente executivo da Unicer, João Abecasis, durante a apresentação de resultados do ano passado, dia em que se assinalam 50 anos sobre a primeira produção de cerveja branca no centro de Leça do Balio.

Apesar do comportamento positivo em Portugal, onde a faturação de cerveja cresceu em seis milhões de euros, segundo o vice-presidente da empresa, Rui Lopes Ferreira, as vendas líquidas da Unicer caíram cerca de 4% para 463 milhões de euros, devido a uma contração sentida no mercado angolano, onde registou uma descida de 33 milhões de euros em 2013.

João Abecasis salientou que as dificuldades sentidas em Angola foram «dificuldades do foro administrativo e de transição das regras» em termos alfandegários, que se verificaram no primeiro semestre do ano passado, não sendo sentidas na segunda metade do ano nem no começo de 2014.

Por outro lado, Rui Lopes Ferreira adiantou que as vendas para novas geografias cresceram 47% para mais de 2,2 milhões de litros, o que representou mais de dois milhões de euros.

«Já em janeiro deste ano, a Super Bock começou a ser distribuída no Rio Grande do Sul e no Rio de Janeiro», esclareceu a Unicer em comunicado, que estima «alargar a rede de distribuição a outros estados [brasileiros] como São Paulo e Minas Gerais, tendo como objetivo alcançar um volume de dois milhões de litros até ao final de 2014».