O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, reiterou esta terça-feira que o Governo não vai recuar na intenção de privatização da TAP e acusou os sindicatos de não estarem interessados em continuar o processo negocial para evitar a greve dos dias 27,28,29 e 30.

«Os sindicatos não estão interessados em suspender o pré-aviso de greve que vai afetar muitas famílias nesta época», o que «o Governo lamenta».

«Fazemos votos para que os sindicatos revejam a posição sobre a greve», afirmou Sérgio Monteiro aos jornalistas, numa curta declaração sem direito a questões.

Esta manhã, o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) abandonou a plataforma sindical da TAP por discordar do documento que foi entregue ao Governo e que «abre a porta» à privatização da transportadora, segundo uma nota interna. 

Entretanto, a plataforma de sindicatos da TAP propôs ao Governo a suspensão do processo de reprivatização até à conclusão de 12 processos negociais, que elencaram no memorando entregue na segunda-feira ao Governo como condição para cancelar a greve.


Em causa está a aprovação pelo Governo, no dia 13 de novembro, do processo de privatização da TAP, através da alienação de ações representativas de até 66% do capital social da TAP SGPS. 

De acordo com o plano, o Estado ficará com uma opção de venda de até 34% do capital remanescente, ao adquirente na venda direta de referência, caso faça uma apreciação positiva do cumprimento das obrigações pelo mesmo assumidas no âmbito da reprivatização.