Os trabalhadores da papeleira Soporcel da Figueira da Foz, em greve desde terça-feira, estão disponíveis para levantar o segundo pré-aviso de greve se a administração aceitar reunir no dia 1 de junho.

Vítor Abreu, da Comissão Sindical, disse hoje à agência Lusa que os trabalhadores vão aguardar por resposta até sábado.

«De acordo com a proposta aprovada hoje em plenário, os trabalhadores levantam o segundo pré-aviso de greve agendado para 02 de junho se a administração marcar uma reunião em que participem a Comissão Sindical, a Comissão de Trabalhadores e o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Centro Norte», explicou.

Segundo Vítor Abreu, até 31 de maio mantém-se em vigor o primeiro período de quatro dias de greve iniciado às 20:00 de terça-feira, com piquetes nas instalações da empresa a assegurarem que a unidade não recebe matéria-prima e escoa produto acabado.

Os trabalhadores contestam as alterações ao fundo de pensões que, de acordo com fonte sindical, passará do sistema atual, intitulado de «benefício definido» - a empresa contribui com 8% do salário dos trabalhadores e garante o capital do fundo - para um sistema de «contribuições definidas», em que a participação da empresa baixa para os 4% (podendo os colaboradores, voluntariamente, contribuírem com a percentagem que quiserem), mas o capital existente no fundo passa a depender das flutuações do mercado e outros aspetos.

Os trabalhadores alegam que com as novas regras vão ter um prejuízo de 40 a 60% nas pensões.

Fonte do gabinete de relações públicas do grupo Portucel Soporcel disse na quarta-feira à agência Lusa que a administração «está disponível para o diálogo sobre todos os temas importantes para os seus colaboradores, mas que a greve impede um diálogo construtivo».

Hoje, a agência Lusa não conseguiu obter a posição da empresa.

Numa nota enviada à imprensa, a empresa esclarece que «tem um parque industrial assente em três centros fabris, que permite satisfazer as encomendas dos clientes, reduzindo o impacto da paragem».

A unidade industrial da Soporcel em Lavos, que integra o grupo Portucel Soporcel, segundo maior exportador nacional em 2013, entrou em funcionamento em 1984 e desde essa data não havia registo da convocação de nenhuma greve dos trabalhadores.