O presidente do BCP afirmou esta quarta-feira que continua a aguardar a decisão do Banco do Portugal para pagar parte do dinheiro público injetado no banco e reiterou que não há qualquer decisão sobre um eventual aumento de capital.

Nuno Amado falava aos jornalistas à margem de um almoço organizado pela Câmara do Comércio e Indústria Luso-Espanhola (CCILE), que contou com o presidente do conselho de administração da Sonae, Belmiro de Azevedo, como orador do evento.

Questionado sobre um eventual aumento de capital do BCP para acelerar o reembolso das ajudas do Estado, Nuno Amado garantiu que «nenhum dos órgãos» do banco, «nem comissão executiva, nem conselho de administração» decidiram fazer uma operação do género.

«Não há decisão», afirmou o presidente, acrescentando que o que o BCP pretende «é basicamente cumprir com o plano de reestruturação» e «fazer um enorme trabalho para poder potenciar o desenvolvimento do banco».

Lembrou ainda que o BCP apresentou ao Banco de Portugal o seu plano para recomprar parte dos 3.000 milhões de euros em obrigações convertíveis (¿CoCo'bonds que estão nas mãos estatais desde junho de 2012, aguardando a devida autorização para consumar a operação.

O pedido de pagamento de 400 milhões de euros, feito ao Banco de Portugal, ainda não obteve resposta.

«Aguardamos a decisão» do supervisor, concluiu.

O Diário Económico noticiou hoje que o BCP está a estudar, com o apoio do JPMorgan, um aumento de capital superior a 1,5 mil milhões, tendo em vista acelerar de forma significativa o reembolso ao Estado de parte dos três mil milhões de euros de ajuda estatal.