O lucro da NOS, operadora resultante da fusão da Zon com a Optimus, subiu 2% no terceiro trimestre do ano, face a igual período de 2013, para 18,8 milhões de euros.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a NOS adianta que as receitas recuaram 3,8% em termos homólogos, para 347,8 milhões de euros, mas subiram 0,8% face ao trimestre anterior.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) recuou 4,6% no terceiro trimestre, face a igual período do ano anterior, para 133,4 milhões de euros.

«Os custos operacionais não recorrentes de 18,3 milhões de euros, relacionados com o processo de fusão e com o lançamento da nova marca, tiveram impacto no resultado consolidado líquido, que no entanto cresceu 2% para 18,8 milhões», salienta a NOS, citada pela Lusa.

A operadora adianta que as ofertas convergentes «continuam a obter recordes a cada trimestre, com o número de serviços convergentes a aproximar-se de 1,5 milhões de subscrições».

A NOS aponta que os serviços convergentes registaram adições líquidas de 480 mil novos clientes, mais 48% que nos três meses anteriores.

«Para este desempenho contribuiu o significativo crescimento dos serviços móveis com o número de clientes a aumentar 9,2% face ao período homólogo, e a registar adições líquidas de cerca de 139 mil novos clientes, com os clientes pós-pagos (de assinatura) a aumentarem 145 mil».

Já o número de serviços móveis atingiu 3,536 milhões, dos quais 1,415 milhões são de assinatura.

«No final do terceiro trimestre, a NOS prestava mais de 7,445 milhões de serviços, ou seja, mais 2,6% que em igual período do ano passado», acrescenta.