O Governo japonês vai submeter os três maiores bancos do país a uma investigação depois de um deles ter estado envolvido num escândalo de financiamento de grupos relacionados com o crime organizado, informou o diário Asahi.

A Agência de Serviços Financeiros japonesa comunicou aos três bancos ¿ Tokyo Mitsubishi UFJ, Sumitomo-Mitsui e Mizuho ¿ que vai realizar inspeções a 5 de novembro, uma decisão surge depois de recentemente ter sido tornado público que o banco Mizuho realizou empréstimos a indivíduos relacionados com máfias.

Uma inspeção das autoridades japonesas, realizada entre dezembro de 2012 e março deste ano, permitiu detetar que o Mizuho realizou 230 operações, principalmente sob a forma de empréstimos para a compra de automóveis, avaliadas em mais de 200 milhões de ienes (1,5 milhões de euros), com

pessoas relacionadas com máfias.

O presidente do banco, Yasuhiro Sato, acabou por renunciar a metade do seu salário anual depois de reconhecer que responsáveis do banco estavam a par destas operações e o seu antecessor, Satoru Nishibori, que abandonou o cargo em 2011, também devolverá de forma retroativa parte do salário que recebeu em 2010, ano em que teve conhecimento pela primeira vez das transações em causa.