Os secretários de Estado do Desenvolvimento Regional, Manuel Castro Almeida, e da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, assinaram hoje o despacho que confere interesse estratégico ao investimento que a Volkswagen Autoeuropa prevê realizar em Portugal.

A 31 de março, a Volkswagen Autoeuropa assinou uma candidatura de incentivos com a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) para um investimento de 670 milhões de euros e a criação de 500 empregos entre 2014 e 2019.

De acordo com o despacho, tanto a AICEP como o COMPETE - Programa Operacional Fatores de Competitividade «se pronunciaram favoravelmente quando ao projeto da Volkswagen Autoeuropa, considerando que este reúne as condições necessárias à sua qualificação como de interesse estratégico para a economia portuguesa e para a região onde se localiza».

O projeto, «no valor de cerca de 677 milhões de euros, tem por objetivo o reforço da competitividade da Volkswagen Autoeuropa através da introdução de uma nova tecnologia de produção denominada "Modularer Querbaukasten" (MQB), a qual está a começar a ser utilizada noutras fábricas do grupo Volkswagen e será aplicada às novas gerações de veículos» da fabricante automóvel.

A introdução da nova tecnologia, adianta o despacho, torna a fábrica de Palmela «mais flexível no que à introdução de novas viaturas diz respeito», refere o documento, apontando que outras das vantagens da nova plataforma «serão os ganhos ao nível da estrutura do automóvel, que se traduzem num aumento substancial da rigidez estrutural do conjunto» e irá implicar «um menor dispêndio de matéria-prima» no fabrico dos veículos e menor peso dos mesmos, «o que terá efeito na redução dos consumos e, consequentemente, das emissões poluentes».

Este projeto permite também a introdução de um ou mais novos modelos automóveis, assentes na plataforma MQB, dos modelos POLK A0 e A, «essencialmente destinados a nichos de mercado e respetivos componentes e acessórios», refere.

O despacho adianta que o projeto tem um período de execução de cinco anos, o qual é «justificado pela complexidade e características específicas dos investimento em causa», prevendo-se a criação até 2017 de mais de 500 novos empregos diretos, bem como a manutenção dos atuais 3.339, «podendo ocorrer após este ano um reajustamento do número de postos de trabalho decorrente do ciclo de vida próprio dos produtos da indústria automóvel».

Além disso, a Volkswagen Autoeuropa «prevê o alcance de um volume de vendas de mais de 20 mil milhões de euros em valores acumulados de 2013 a 2022, sendo que a quase totalidade deste montante será relativa a vendas no mercado internacional».

Entre 2013 e 2022, a Autoeuropa espera um crescimento do valor das exportações de mais de 94%.

Face a estes pontos, o Governo declara «o interesse estratégico do projeto de investimento da Volkswagen Autoeuropa para efeitos de enquadramento nas tipologias de investimento suscetíveis de apoio no âmbito do sistema de incentivos à inovação».

A Volkswagen Autoeuropa foi constituída em junho de 1991, na sequência de uma "joint-venture" [parceria] formada entre a Ford Werke AG e a Volkswagen AG, sendo desde 1999 detida na totalidade pelo grupo alemão.