O IAPMEI pagou às empresas 81,5 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, ao abrigo dos vários sistemas de incentivo ao investimento do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), divulgou hoje a instituição.

«Em causa estão apoios que permitiram alavancar atividades de inovação empresarial, ligadas a novos produtos, processos ou tecnologias, à expansão do negócio e ao reforço da sua orientação para mercados internacionais, bem como a atividades de investigação e desenvolvimento tecnológico», explicitou em comunicado o Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI).

Aquele valor duplicou relativamente ao período homólogo do ano passado, quando tinham sido pagos incentivos no montante de 35,3 milhões de euros.

Na base deste resultado está principalmente, «a par do trabalho desenvolvido pelas equipas internas do IAPMEI, o esforço notável de investimento concretizado pelas empresas nacionais na modernização e expansão das suas atividades e no aproveitamento dos fundos disponíveis no QREN para reforço da competitividade dos seus negócios», refere.

Associados aos incentivos pagos estão 823 projetos empresariais de norte a sul de Portugal do país, que envolveram globalmente um montante superior a 562 milhões de euros de investimento nacional, com a criação de mais de 5.200 novos postos de trabalho.

Mais de 80% deste investimento concentra-se nas regiões norte e centro, tendo o norte captado 48% e o Centro 36% dos investimentos contratados, salienta-se no comunicado.

Em termos setoriais, a maioria dos 823 projetos contratados pelo IAPMEI são da indústria e dos serviços, que representam, respetivamente, 34% e 32% do universo apoiado.

O comércio é a seguir, com mais de 20%, a atividade mais representada no conjunto destes projetos apoiados.

Globalmente, o incentivo contratado para os 823 projetos ascende a 286 milhões de euros, e está em mais de 80% direcionado para atividades de inovação empresarial, aposta na subida da cadeia de valor e reforço da vocação exportadora e internacional das empresas.

Os investimentos ligados a atividades de investigação e desenvolvimento tecnológico nas empresas captaram 11% do incentivo global atribuído, ficando a percentagem de apoios à qualificação empresarial nos 7%.

Ao abrigo do QREN, o IAPMEI já pagou até agora incentivos superiores a mil milhões de euros.