As exportações portuguesas para Espanha cresceram 8,5% no primeiro semestre do ano, face ao período homólogo de 2012, com as importações a aumentarem 7,5% no mesmo período, segundo dados remetidos à Lusa.

Os dados mais recentes do Ministério da Economia e Competitividade espanhol, facultados à Lusa pela delegação do Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) em Madrid, referem que Portugal vendeu a Espanha bens e serviços no valor de 4.744,7 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano.

No mesmo período, Portugal importou bens e serviços de Espanha no valor de 8.005,3 milhões de euros.

Na análise dos números, o AICEP destaca que, para além da melhoria do défice comercial, os dados demonstram que o crescimento das exportações portuguesas para Espanha é especialmente significativo «face à tendência negativa das importações globais espanholas (-3,2%)» e, em especial, das importações com origem na União Europeia (que caíram 2,6%).

Destaca-se ainda a «importante diversificação setorial» e uma «diminuição da contribuição dos produtos energéticos para o crescimento global».

No ranking de países clientes, Portugal, com uma quota de 6,7%, foi o 5.º destino das vendas espanholas, colocando-se o Reino Unido na 4.ª posição, passando a ser o 7.º fornecedor (com uma quota de mercado 3,8%), ultrapassando, assim, a Holanda.

Em termos mensais, as importações de Espanha com origem em Portugal aumentaram 14,3% em junho e as exportações para Portugal cresceram 25,8%, face ao mesmo mês de 2012.

Entre os principais produtos portugueses vendidos destacam-se o crescimento de 80,3% nos produtos energéticos (fundamentalmente petróleo e derivados, que representam 9,8% do total).

Produtos manufaturados de consumo (incluindo têxteis e confeção, calçado, brinquedos, joalharia, artigos de cabedal, olaria e outros produtos de consumo) registaram um aumento de 12,2%, passando a representar 16,7% do total.

Os produtos alimentares cresceram 9,4% (são 17,2% do total) e os produtos semitransformados (inclui metais não ferrosos, ferro e aço e produtos químicos) cresceram 1,2%, representando 23,2% do total.

A nível regional destacam-se o aumento de 22,6% nas vendas para a Catalunha ¿ principal destino com 18,3% do total, revela a Lusa.