A EDP Comercial foi o único operador que reforçou em abril a sua posição no mercado livre de eletricidade em número de clientes e em consumos, enquanto os dois principais concorrentes perderam terreno, segundo a ERSE.

Segundo o resumo do mercado liberalizado de eletricidade, a EDP reforçou em 0,3 pontos percentuais a sua quota em número de clientes e em 0,5 pontos percentuais em consumo face ao mês anterior, mantendo a posição como o principal operador no mercado livre em número de clientes (85,8% do total de clientes) e em consumos (46,2% dos fornecimentos no mercado livre).

Em número de clientes, a Endesa e a Iberdrola reduziram a sua quota para 5,8% e 2,6%, respetivamente. Os dois operadores também perderam terreno em abril em consumos, recuando para 20% e 19,3%.

A Endesa tem vindo a perder quota de mercado desde meados de 2012, com exceção do mês de julho de 2013, segundo o relatório da Entidade reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Apesar de mais de 77% do consumo total de eletricidade em Portugal Continental se fazer em mercado livre, cerca de metade dos clientes domésticos ainda permanece no mercado regulado, o que torna este segmento o mais atrativo para os operadores, sendo aquele em que há uma maior concentração empresarial.

Fruto do peso relativo ainda baixo do mercado livre (50%) junto dos clientes domésticos, que têm até dezembro de 2015 para fazer a migração, «este é o segmento com maior margem de captação no conjunto de clientes no mercado regulado», lê-se no relatório mensal da ERSE.

Só em abril, quase 93 mil consumidores domésticos passaram a ser fornecidos no mercado livre. Salienta-se ainda que, atualmente, o número de comercializadores com oferta concretizada no mercado livre para clientes domésticos é de oito.

O mercado livre alcançou um número acumulado de cerca de 2.733 mil clientes em abril, com um crescimento líquido de mais de 93 mil clientes face a março de 2014.

O número de clientes no mercado livre cresceu 3,5% em abril, cerca de 1,2 pontos percentuais abaixo do crescimento registado no mês anterior. Desde abril de 2013, o número de consumidores no mercado livre cresceu cerca de 66%, a uma taxa média mensal de cerca de 4,3%.