O número de passageiros transportados pela CP Comboios de Portugal caiu em 2013, face a 2012, mas a queda foi menor do que no ano anterior, graças a uma «inversão da tendência» a partir de setembro, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado, a CP fala numa melhoria de 45% do resultado operacional para os 20 milhões de euros negativos, o que representa uma melhoria de 17 milhões de euros face a 2012.

O EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações), por sua vez, foi positivo em 23 milhões de euros, apesar da redução de 12 milhões de euros face ao ano anterior, que decorreu «diretamente da necessidade de reposição de subsídios de férias e natal aos trabalhadores da empresa».

No conjunto de 2013, a CP transportou cerca de 107,2 milhões de passageiros em todos os seus serviços a nível nacional, um valor inferior em 4% ao ano de 2012 (ano em que transportou 111,7 milhões de passageiros).

Em 2012, sublinha a empresa em comunicado, esta redução era de mais de 11% face ao exercício anterior.

«A inversão na tendência de quebra de passageiros transportados teve impacto a partir do mês de setembro de 2013, tendo-se verificado nos últimos quatro meses do ano um crescimento médio de passageiros de 2,3%, transversal a todos os serviços da empresa», refere.

Segundo a CP, o crescimento foi liderado pelo serviço regional, com 6,1%, seguido dos serviços urbanos do Porto com 5,9%.

Nos serviços de longo curso, o crescimento foi de 4,3% e nos serviços urbanos de Lisboa, de 0,8%.

Os proveitos de tráfego baixaram 3,2%, face a 2012, para 203,95 milhões de euros.

No entanto, destaca, a evolução foi positiva no período de setembro a dezembro, com um aumento da ordem dos 3,1% com impacto particular nos serviços regionais (7%) e serviços urbanos do Porto e longo curso (cerca de 5%).

Neste contexto, a CP diz ter estabelecido para 2014 um crescimento anual efetivo do volume de passageiros transportados, para o qual «será imprescindível a manutenção do clima de paz social na empresa, bem como a continuidade da implementação de iniciativas comerciais competitivas e capazes de dar resposta às necessidades das populações».